sábado, 5 de julho de 2008

VEGETARIANISMO EM FAMÍLIA

Uma decisão difícil criar um filho dentro do vegetarianismo...
Ainda na gestação, mães vegetarianas são forçadas a ingerir carne e passar por cima de suas convicções. Se existe aquele ditado de que ¨toda grávida é anêmica¨, pois uma grande quantidade de nutrientes é cedido ao feto, imagine aquelas que excluem a carne de seu cardápio.
Nos 6 primeiros meses após o nascimento ficamos relativamente tranquilos, já que o leite materno é suficiente para nutrir o bebê. Por outro lado, a mãe continua a ceder nutrientes, sendo frequentemente orientada a não manter uma dieta tão ¨agressiva¨.
A partir deste ponto, a quantidade de pessoas (leigas ou não) a favor da famosa proteína animal pode nos deixar inseguros. Se a criança cair é porque está faltando carne; se tiver um resfriado, gripe ou qualquer indisposição, é culpa da carne; se não andar, se não falar, se engasgar, se tiver com catarro, se não engordar, se for baixinha,... é tudo culpa da sua alimentação deficiente.
Ficamos contentes por, mesmo em um mundo onde a carne é considerada o principal alimento e o lobby do agronegócio é extremamente forte, termos tido coragem de remar contra a maré. Digo isso porque mais de 2 anos após seu nascimento, nosso filho sempre apresentou um desenvolvimento satisfatório; peso, altura, aprendizado, exames... tudo está em perfeita ordem.
Sei também que esta estatística pode ser considerada ridícula, mas vai de encontro com os trabalhos científicos atuais de entidades que não sofrem nenhum tipo de pressão, seja ela social, cultural ou financeira.

4 comentários:

antenna disse...

:) que legal!

eu só queria compartilhar minha experiância também.
ontem fiz 23 anos de vida e de vegetarianismo.
minha mãe já era vegetariana 6 anos antes de engravidar, e não comeu carne durante toda a gestação. Na época o médico fez os exames e se espantou, disse que ela estava tão bem que poderia até doar sangue se quisesse. Nenhuma de nós teve anemia ou qualquer deficiência ou doença até hoje.

beijos!

Annibal disse...

:) que legal mesmo...

fico feliz em receber uma mensagem de incentivo como primeiro comentário do blog.

Annibal

Fotografias de Leandro Luppi disse...

Bacana saber disso. Pois não sou contra comer carne, mas sim a carne que comemos. Não é a mesma de um bicho que teve a vida normal e um dia morre para alimentar outro. O problema é como toda essa bicharada é criada e morta para satisfazer os nossos paladares. Egoístas? Sim somos egoístas. E eu parabenizo vocês por conseguirem manter suas convicções neste mundo consumista, eu não consegui. Parabéns!

Annibal disse...

Luppi, inicialmente também não me opunha à ingestão de carne e foi justamente a maneira como se trata os animais minha única e real motivação.
Sei perfeitamente como nossos hábitos alimentares nos são caros, mas posso garantir que sem a carne para enganar nossas papilas, o paladar se torna muito mais apurado e as refeições infinitamente mais prazerosas.